sexta-feira, 31 de julho de 2015

Bikini Kloset



Ganhei num passatempo este biquíni da Bikini Kloset! É da Lemar, veio da Colômbia, e é lindo, de óptima qualidade! Gostam? Eu adorei! Agora tenho é de pensar em ir à praia…





domingo, 26 de julho de 2015

Amigas




Esta semana, reencontrei uma das minhas melhores amigas do secundário e, dias depois, outra amiga chegada do final da adolescência, ambas após 20 anos, incrível! Mais incrível ainda foi ver que esta última, 20 anos depois, está igualzinha! Tenho de saber o que é que ela anda a usar… 

E ontem fui almoçar com uma amiga e colega que conheci pessoalmente no mês passado e que me ofereceu esta pulseira linda e que é "a minha cara", porque adoro gatos:


Dedicam tempo às vossas amigas? Eu tento fazê-lo. Ao voltar para casa, passei por uma esplanada onde estavam duas senhoras sentadas sozinhas, uma em cada mesa. O mundo caminha para um deserto.

segunda-feira, 20 de julho de 2015

Do dia




1. Estava a fazer o jantar e a seguir pelos auscultadores um vídeo sobre organização, e ouço no final: always be grateful for having more than you need, ou seja, sinta-se sempre grata por ter mais do que precisa.     

2. A organização do dia em si, de que "falei" ontem, correu relativamente bem. Fui produtiva, sim, senhora, mas old habits die hard e ainda tenho de fazer vários ajustes. Pelo menos consegui disciplinar-me bem até às 17 horas, depois dispersei um pouco. Agora estou aqui vai-não-vai para começar já hoje um trabalho para entregar até ao fim da semana, mas ainda tenho de terminar outro para quarta…

  

domingo, 19 de julho de 2015

Plano semanal


Um clássico para quem trabalha em casa como eu é o problema da gestão do tempo.

Consigo produzir bastante, mas faço mesmo muitas pausas, tenho os chamados "bichinhos-carpinteiros" e levanto-me constantemente para acudir a esta ou aquela tarefa doméstica ou, mesmo, tirar mais um café. Isso, a par de nunca ter sido muito disciplinada, também me traz, pelo menos, uma vantagem: não sofrer de tendinites, dores nas articulações (a não ser muito raramente nalgum dedo), síndromes do túnel cárpico, tenossinovites e afins, como se queixam em massa os meus colegas. Chego a achar pouco normal não ter nada disto!

Mas a falta de disciplina chateia-me, de modo que, mais uma vez, vou iniciar amanhã nova tentativa para trabalhar mais "seguido".

Ora vamos:

7h20 - 7h30: ver o e-mail

7h30 - 8h: tratar do pequeno-almoço e arranjar-me  

8h - 12h: trabalhar

12h - 13h: pausa para almoço, assuntos domésticos e escrever nos blogues (sim, tenho outro, chiuuuu)

13 - 17h: trabalhar

17h - 18h: ler (15 min.), ginástica ou caminhada (45 min.)

18h - 19h: assuntos domésticos

19h - 23h: período "hora de ponta" - cozinhar, jantar + assuntos domésticos, alimentar os gatos do parque, ver novamente e-mail, retribuir comentários em blogues, etc. Acho que consigo encaixar alguma coisa mais interessante aqui, enfim, verei nos próximos dias...

23h (esta hora parece-me tão utópica…): arranjar-me para dormir, ler (1 hora) e dormir  

Os períodos de trabalho vão tentar seguir o conhecido método pomodoro, em que se trabalha 25 minutos directos + pausa de 5 minutos. A ver como se porta a minha produtividade…
Em fases de mesmo muito trabalho, já se está a ver que terei de acrescentar mais horas ao trabalho.   

E retomar a música que eu dantes tanto ouvia. Acho que a música já foi minha salvadora e tenho sido ingrata com ela :)


quinta-feira, 16 de julho de 2015

E depois do banho



Como vão? Eu, hoje, só dormi 3 horas e estive com uma conjuntivite monumental, controlada eficazmente com prednisolona em pomada, por isso não vou grande coisa :)


Pouco tempo requer cuidados práticos e rápidos depois do banho. Praticamente só tenho usado o básico óleo para bebé, tão prático: passa-se num instante na pele molhada e já está! Quando tenho mais tempo, complemento com o anticelulite Collistar ou alterno com o delicioso hidratante da Victoria's Secret.


quarta-feira, 15 de julho de 2015

Gaivotas



Estou cheiíssima de trabalho outra vez, mas tenho o meu bocadinho de Verão no ouvido, porque moro relativamente perto do rio e ouço as gaivotas (e pensar que há quem as aprisione…). Faz um bocadinho de conta que estou a dar um passeio de barco! Se fosse, levava esta blusa que comprei no sábado:



sexta-feira, 10 de julho de 2015

Semana quente e cheia de trabalho

 
Os jeans novos. Teve de ser, baixei um tamanho de roupa…              A t-shirt nova da La Redoute

Confortável, de chinelos de dedo e sem cinto, excepto quando tive de sair para fazer algum recado rápido ou num dia em que tive mesmo de ir caminhar ao fim da tarde para arejar…


Arejar pelas ruas de Gaia, aqui perto. Embora ainda no centro da cidade (junto ao Porto, por isso perto da margem, mas ainda assim se chama centro), basta sair uns metros do centro-centro para encontrar prédios decadentes. A dada altura, já doía. Pus os óculos escuros e olhei para o céu…
 


Bom sábado! Com música:


terça-feira, 7 de julho de 2015

Vamos às compras e às pechinchas!



Como vos disse, desforrei-me neste fim-de-semana!

Consegui comprar a blusa branca do capsule wardrobe - não é uma camisa, a camisa passa para a próxima estação. Aqui parece um bocadinho baggy, mas estava sem cinto. 


Também comprei uns botins: não resisti a mais uns, o preço estava convidativo, 40 € na Salsa, e já os usei numa caminhada, apesar do calor. Quem costuma caminhar como eu precisa de calçado confortável, e as ruas e os passeios daqui não são propriamente uma avenida de Nova Iorque, pelo contrário...



Perdi o brilhante do meu fio preferido (caiu num tapete de pelo comprido e não consigo encontrá-lo! Ou os meus gatos andaram a jogar à bola com ele, ou o tapete engoliu-o, e já me fartei de enfiar os dedos por entre os fios à procura), pelo que cometi uma pequena extravagância: comprei outro semelhante!


Comprei ainda esta t-shirt na minha cor preferida (cor bem mais bonita e "petróleo" ao vivo) por 3 €:


E este baton numa loja Clarel por outros 3 €:


 E vocês, encontraram pechinchas? Quero saber!

segunda-feira, 6 de julho de 2015

Limpezas de Verão



 Na semana passada andei assim…


… a tirar tudo do armário para ver realmente o que tenho, o que ainda está bom e o que já viu melhores dias, e eliminei umas 8 peças, entre roupa e sapatos para dar ou simplesmente deitar ao lixo!

Esta blusa ainda não tinha sido usada este ano:


Esta já tem uns 10 anos e nem sei que ainda me serve confortavelmente, mas adoro-a e guardei-a:


Entretanto, como consegui organizar o meu trabalho durante a semana, a partir de sexta ao fim da tarde tirei algum tempo para idas (sim, no plural…) ao shopping e já repus uma série de coisas, aproveitando os saldos (onde encontrei uma t-shirt na minha cor preferida a 3 euros!) e também comprando uma ou outra coisa nas novas colecções.

E vocês, armários todos organizadinhos?

quarta-feira, 1 de julho de 2015

Peregrinos da Eternidade, crónicas ibéricas medievais




Não sei realmente fazer crítica literária, mas não deixarei de dar a minha opinião sobre esta obra de José Bento Duarte, que acabei de ler na semana passada.   

Não sou nacionalista, considero até o nacionalismo, enquanto exacerbação do que é nacional para os nacionais, sem sentido, mas o facto é que nos sentimos diferentes em relação ao que reconhecemos como nosso desde sempre. É aqui que pertencemos, é com estas pessoas que partilhamos uma terra, um clima, alguns costumes, muitos dos quais já deveriam ser passado, e, sobretudo, uma Língua e uma História.

Vamos à obra:

José Bento Duarte narra-nos uma omnipresente interligação de destinos nesta Península Ibérica, entre portugueses e espanhóis. Não há como negar: estivemos sempre ligados, logo pela proximidade, por casamentos e pela disputa de terras.

Vamos folhear o livro e destacar apenas alguns pontos:

Aqui senti a dor e o desvario de D. Pedro I, depois de terem morto a sua Inês:

"Deste jeito se nos mostra o rei Pedro I de Portugal, a esbracejar desatinos e extravagâncias do seu infortúnio, a contorcer-se em danças de doido à frente do povo, a buscar nos regabofes pagãos e nos padecimentos alheios umas migalhas de alívio para a sua dor mais funda. Quando ele descarrega a revolta em qualquer mal-aventurado é como se retrocedesse até àquela terrível madrugada de Coimbra e tirasse um pouco de desforço do destino. Sempre com a alma aos uivos."


Apesar de não conseguir simpatizar com a figura tão ambiciosa de D. Leonor Teles, apreciei a sua dignidade no final do seu reinado. Como refere JBD, 

"Podia ter vivido como tranquila amante de um rei - quis ser rainha contra o mundo. Podia ter-se rendido à ambição, casando com o assassino do seu mais fiel vassalo - escolheu a dignidade de uma recusa perigosa. Podia ter-se vendido ao mais poderoso dos ibéricos - optou por enfrentá-lo, arriscando a vida num combate desigual. Mulher mui inteira e de coração cavalheiroso, senhora de mil encantos e de astúcias subtis, ela preferiu sempre quebrar em vez de torcer."


 
Sou humana e o que mais me impressionou foi, quase no final, o relato do Cerco de Lisboa de 1384…


A História é-nos transmitida "a correr", de forma resumida, na escola. Se queremos saber mais, temos de aprofundar com boas leituras, como a deste magnífico livro que recomendo.

Muito obrigada, José Bento Duarte!